Parece cordeiro, mas fala como dragão

fala como dragão

foto por: Dylan Hikes em Unsplash

No livro de revelações temos várias figuras de linguagem, nem todos estudiosos conseguem explicar, pois referem-se a forma de expressar da época que se perderam no tempo. João usa desta linguagem para falar ao povo cristão, às perseguições que sofreriam, aos momentos que viveriam, muitas não conseguimos compreender, mas há um consenso quanto a se tratar do império romano na época e seus governantes.

Em Apocalipse, capítulo treze, do versículo onze ao quinze: “Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão. Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada. Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens. Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta.” (Apocalipse 13.11–15, BEARA).

O que é importante entender? É a questão do espírito que há no que fazem, pois são dominados por um pensamento do anticristo, que nada mais é que o pensamento natural, que é diabólico. Todo pensamento que esteja voltado para buscar a própria salvação, os interesses próprios, o usar dos outros para alcançar os próprios desejos e para resolver as próprias carências é um pensamento natural e, portanto, o pensamento do anticristo. Assim como foi na época do império romano, assim é em nossos dias.

A quem temos adorado? A quem temos servido? De que maneira temos vivido? Estamos debaixo da vontade de Deus, andando por fé ou o que temos sido é religiosos e estamos vivendo pelo pensamento deste mundo usando as pessoas e as situações para nos salvar?

Como filhos de Deus, precisamos rejeitar tudo que provém deste mundo para andarmos segundo a Sua vontade e a ela sujeitos, para que revelemos o reino e O glorifiquemos por meio de nossas vidas.

Anúncios