O joio, o trigo e o reino de Deus

Podemos ler a parábola que Jesus contou com relação ao joio e o trigo e o significado em relação ao Reino de Deus, mas precisamos refletir se temos sido o trigo ou o joio, pois se o próximo é trigo ou joio não importa, enquanto não for a colheita, enquanto não houver a produção do fruto, não saberemos se é trigo ou joio, pois se parecem.

Viver o reino não se trata de aparência, nem de regras, e muito menos do que fazemos, mas, a motivação que nos move no sentido de fazer as coisas, na perspectiva de como vivemos neste mundo, mas principalmente, se oferecemos ou não os nossos corpos e membros para cumprir a justiça de Deus e revelar o Seu Reino a todas as pessoas com quem convivemos.

Podemos ler sobre a estória que Jesus contou sobre o joio e o trigo em Mateus no capítulo treze, do versículo vinte e sete ao trinta e depois a explicação, bem como a instrução de Jesus que deve deixar que eles cresçam sem que queiramos ou tentemos arrancar o joio do meio do trigo.

Ele fala nos versículos quarenta e um e quarenta e dois o que fara no final dos tempos, como podemos ler: “O Filho do Homem mandará os seus anjos, e eles ajuntarão e tirarão do seu Reino todos os que fazem com que os outros pequem e também todos os que praticam o mal. Depois os anjos jogarão essas pessoas na fornalha de fogo, onde vão chorar e ranger os dentes de desespero.” (Mateus 13.41–42, NTLHE).

A questão que não é o que acontecerá com estas pessoas, pois tendo compaixão não só devemos agir em favor das mesmas para que sejam despertadas para a verdadeira vida e liberdade como Jesus fez com os religiosos de Sua época, mas devemos refletir sobre a nossa vida quanto ao que nos move e nossa motivação. Se temos usado as pessoas, sendo egoístas, buscado nossos interesses, se temos procurado sempre salvar a nós mesmos, se cuidamos somente dos nossos interesses em detrimento da necessidade dos outros, precisamos repensar sobre o que temos feito e nossa religiosidade para não sermos o joio nesta história toda. Precisamos sim, sermos sinceros filhos de Deus que revelam as Suas virtudes e proclamam a Sua glória aos homens, glorificando sempre o Senhor e conduzindo as pessoas ao conhecimento do amor e da justiça de Deus que ofereceu o Seu filho em nosso lugar para que fôssemos salvos por Sua graça por meio da fé em Cristo.

Anúncios