Muitas vezes queremos multidões

Muitas vezes queremos multidões

foto por: multidão em Pixabay

Em Atos, capítulo dezessete, versículo trinta e quatro, em Atenas, depois de pregar para uma multidão, podemos observar que poucos creram:

Mas algumas pessoas creram e se juntaram a ele. Entre essas estavam Dionísio, que era membro da Câmara Municipal, uma mulher chamada Dâmaris e mais outras pessoas.” (Atos dos Apóstolos 17.34, NTLHE).

Depois de pregar para uma multidão de religiosos, como os atenienses, que frutos Paulo colheu? Poucas pessoas creram na palavra que ele tinha trazido. Isso é diferente hoje em dia, especialmente considerando a religiosidade reinante? Não! Temos que entender que ser religioso, não necessariamente as pessoas irão aceitar a palavra que trazemos e é provável que poucas venham a crer.

Não importa, se muitas ou poucas pessoas acreditem, mas, devemos ser fiéis ao fundamento do evangelho, à vontade de Deus e não podemos deixar de pregar sobre ela a todos que tivermos oportunidade: só não podemos esperar que uma multidão venha a crer.

Nem sempre a multidão irá crer em nossas palavras, mas poucos, e nem por isso devemos deixar de anunciar as boas novas e nos mantermos fieis aos fundamentos do evangelho.