O predomínio do interesse próprio

Não podemos viver como religiosos e nem como pessoas naturais que buscam o interesse próprio, mas devemos cuidar da vontade do Pai, nos submetermos a essa e sermos expressão da Sua justiça.