Um discípulo na maciota

Um discípulo na maciota

foto por: Carles Rabada em Unsplash

A questão que devemos responder é se dá para ser discípulo de Jesus na maciota, isto é, sem compromisso, na informalidade ou como muitos afirmam: católico ou evangélico não praticamente? Mas, se trata somente de não ir às reuniões ou mesmo indo (cultos, missas, etc), posso continuar a ser um discípulo na maciota? Não! Temos que entender que se não houver compromisso com Quem nos chama, não podemos ser discípulos de Jesus.

Jesus falando sobre isso, afirma em Lucas, capítulo quatorze, do versículo trinta e um a trinta e três: “— Se um rei que tem dez mil soldados vai partir para combater outro que vem contra ele com vinte mil, ele senta primeiro e vê se está bastante forte para enfrentar o outro. Se não fizer isso, acabará precisando mandar mensageiros ao outro rei, enquanto este ainda estiver longe, para combinar condições de paz. Jesus terminou, dizendo: Assim nenhum de vocês pode ser meu discípulo se não deixar tudo o que tem.” (Lucas 14.31–33, NTLHE).

Ser discípulo de Jesus implica em negar a tudo que tem, ou seja, negar a si mesmo. Quem deseja seguir a Cristo, precisa fazer isso, tomar a sua cruz (instrumento de morte) e seguir, dia após dia, o modelo que Cristo nos deixou. Ele abriu mão de quem era, se humilhou, para cumprir a vontade do Pai e por meio da Sua obra nos reconciliar com Ele.

Se queremos de fato ser discípulo, precisamos deixar de pensar que podemos ser de qualquer jeito e que se trata somente da salvação, pois não é. Ser discípulo requer bem mais do que estamos pensando, vivendo ou desejando.