Não se trata do que falamos!

Não se trata do que falamos

foto por: Trevor Hayes em Unsplash

Vivermos o reino de Deus e andarmos na Sua vontade não se trata de nossa religiosidade e nem dos nossos cultos, e muito menos do que falamos, mas das obras que praticamos, pois se não fazemos obras que expressam o nosso arrependimento, estamos sendo religiosos e buscando alívio de consciência.

João Batista pregando, falou sobre essas coisas, como podemos ler em Lucas no capítulo três, versículos sete e oito: “Dizia ele, pois, às multidões que saíam para serem batizadas: Raça de víboras, quem vos induziu a fugir da ira vindoura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos por pai a Abraão; porque eu vos afirmo que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão.” (Lucas 3.7–8, BEARA).

A vida com Deus se expressa no compromisso com Ele e Sua vontade e não no quanto somos frequentadores de cultos, dos serviços que realizamos para alcançarmos a Sua misericórdia, mas no quanto expressamos em obras o nosso entendimento da graça que nos alcançou neste mundo.