O que devemos fazer para alcançar a vida eterna?

O devemos fazer para herdar a vida eterna?

foto por:  zhao chen em Unsplash

Todos queremos a eternidade, pois foi algo que Deus plantou em nosso coração, mas a queremos segundo Seu plano e perspectiva ou segundo os nossos desejos? Achamos que a alcançamos segundo o nosso empenho ou mérito ou a recebemos gratuitamente por intermédio do que Deus fez por nós? Não se trata do que pensamos, mas da nossa motivação e do que fala as Escrituras sobre a vontade de Deus.

Em Marcos, capítulo dez, versículos dezessete e dezoito, um homem se ajoelha diante Dele e pergunta sobre o que precisa fazer para alcançar: “E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus.” (Marcos 10.17–18, BEARA).

Depois na sequência, do dezoito ao dezenove, podemos ler sobre o desenrolar desta história: “Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe. Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude. E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me. Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades.” (Marcos 10.19–22, BEARA).

O reino de Deus, a eternidade, a vida eterna do Criador não é alcançada pelo resultado do nosso esforço, pois não se trata de obediência a mandamentos, mas de compreendermos onde deve e tem que estar o nosso coração. O homem estava equivocado quanto a obediência, pois obedecemos não com o intuito de alcançar, mas como expressão de que fomos alcançados. A salvação, a vida eterna é concedida pela graça de Deus por meio da fé em Cristo. Quando nos submetemos, não podemos ter o coração preso a qualquer outra coisa e forma de pensar, mas agirmos debaixo da vontade de nosso Deus e Pai, como expressão de quem Ele é.

Anúncios