Agarrar a verdade ouvida

Agarrar a verdade ouvida

foto por: Fabrizio Conti em Unsplash

Em todo tempo e lugar, tudo tem como propósito nos distrair do que é importante e nos levar para longe da graça, nos incentivando a colocarmos penduricalhos em nossas vidas que não tem nada a ver com a vontade de Deus e nem com o que Ele nos chamou para viver. Somos instigados a nos tornarmos cada vez mais religiosos, nos apartando da graça e da verdadeira vida que temos em Cristo Jesus, nosso Senhor.

O autor da carta aos Hebreus, capítulo dois, do versículo um ao três, afirma: “Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos. Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;” (Hebreus 2.1–3, BEARA).

Temos e precisamos compreender que a nossa salvação não depende do nosso esforço e nem do que podemos fazer, nem dos penduricalhos que incluímos em nosso dia a dia revelando nossa religiosidade. Temos e precisamos compreender que somos chamados para viver o Reino de Deus, revelar o Pai ao mundo, sermos expressão da graça e misericórdia, isto é, de quem Ele é. Não se trata de religião e nem de serviço que prestamos.

A nossa salvação é pela graça, a vida que vivemos, a capacitação que recebemos, também. Por isso não se trata de esforço para alcançar, mas empenho para revelar a obra que Deus realizou e a salvação que Ele nos concedeu. Temos que nos agarrar ao que ouvimos para não nos afastarmos da verdade do evangelho, enchendo a nossa mente com pensamento natural que nos conduz à escravidão do pecado.

Anúncios