Não dar ocasião a nossa vontade e desejo

Não podemos seguir no caminho da nossa vontade

foto por: Matthew Kerslake em Unsplash

Amadurecermos é expressão do entendimento da vontade do Pai, de nos submetermos a ela e vivermos segundo o modelo de Cristo, rejeitando tudo que procede do pensamento natural, da sua forma de raciocínio e nos submetermos à vontade de Deus que nos conduz a verdadeira liberdade e o revelar do ser humano que Ele planejou que fôssemos.

Paulo, escrevendo aos Gálatas, no capítulo cinco, versículo treze afirma: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor.” (Gálatas 5.13, BEARA).

Este é o primeiro aspecto que precisamos entender que fomos chamados à liberdade e que não podemos dar ocasião, oportunidade à forma de pensar da carne e na busca dos interesses pessoais, mas devemos ser servos uns dos outros.

Por que devemos ser servos uns dos outros? Por um motivo que ele complementa nos versículos quatorze e quinze, que diz: “Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede que não sejais mutuamente destruídos.” (Gálatas 5.14–15, BEARA).

Quando amamos, servimos, cuidamos, ajudamos. Mas, se andarmos pela lei da carne, do pensamento natural, não importaremos com os outros, não serviremos, agiremos pelo nosso instinto natural de sobrevivência e busca do interesse próprio.

Somos chamados à liberdade para vivermos como Cristo, para seguirmos o Seu modelo e para oferecermos as nossas vidas como oferta em favor uns dos outros, para que possam ter a oportunidade de conhecer o Pai, Sua vontade e a ela se submeterem.

Anúncios