Como devemos agir entre as pessoas

foto por: Fabio Santaniello Bruun em Unsplash

Quando compreendemos quem somos em Deus, Sua obra em nós e onde nos inseriu como parte integrante da Sua família, entendemos que precisamos santificar o procedimento para sermos expressão da Sua vontade, desempenhando o nosso papel no Corpo e estimulando a Igreja, por meio dos membros, a expressar a vocação, visando responder ao chamado e realizar os propósitos de Deus.

Entendendo isso, devemos agir segundo quem somos, e Pedro em sua primeira carta, capítulo três fala sobre isso, nos versículos oito e nove: “Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, pois para isto mesmo fostes chamados, a fim de receberdes bênção por herança.” (1Pedro 3.8–9, BEARA). E ele complementa de forma especial nos versículos dez e doze: “Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente; aparte-se do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la. Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males.” (1Pedro 3.10–12, BEARA).

Não se trata de sermos preservados, estarmos vivendo ou não tranquilamente, mas de compreendermos a obra de Deus em nós e agirmos como membros do Corpo, santificando e revelando o Pai ao mundo.

Anúncios