Constrangidos a servir e cuidar

foto por: Adrien Taylor em Unsplash

Temos que entender a vontade de Deus, compreender o nosso papel, precisamos discernir que sendo constituídos membros do Corpo de Cristo, que Ele nos concedeu os dons e permitiu o desenvolvimento dos talentos segundo a Sua vontade para que, possamos compreender e servir a Deus, sendo instrumentos da Sua vontade, tanto na edificação do Corpo, como no proclamar e revelar das Suas virtudes a todos, levando o Seu conhecimento a todos em todos os lugares.

Precisamos entender que somos constrangidos a sermos a oferta em favor dos irmãos e do mundo, para que reconciliemos os homens com Deus. E para que isto aconteça, temos que entender que somos responsáveis pelo rebanho que Ele colocou em nossas mãos. Podemos querer ser omissos, lutar contra a vontade de Deus.

Paulo exorta os irmãos da igreja de Éfeso sobre esta questão. Podemos ler em Atos, capítulo vinte, do versículo vinte e seis ao vinte e oito: “Portanto, eu vos protesto, no dia de hoje, que estou limpo do sangue de todos; porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus. Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue.” (Atos dos Apóstolos 20.26-28, BEARA).

Servir a Igreja, sermos instrumentos da sua edificação não é uma opção e não podemos nos subtrair desta responsabilidade, mas precisamos entender que temos que ser a oferta, o sacrifício em favor do Corpo para que haja edificação, a expressão de Deus por meio do Corpo. Somos responsáveis pela edificação e crescimento, por assegurar que o oráculo de Deus seja conhecido de todos de maneira simples e prática no dia a dia. Mas para que isto se torne realidade, temos que ser responsáveis pela Igreja que Deus tem colocado em nossas mãos e que nos capacitou para sermos o Seu instrumento no Corpo e no mundo.

Anúncios