Tempos de refrigério

foto por: Simon Matzinger em Unsplash

Temos da parte de nosso Deus e de nosso Senhor, a paz, que podemos experimentar da verdadeira vida, embora passemos por aflições, precisamos viver por fé, compreendendo que independente do que possamos estar passando, podemos viver tempos de refrigério para a nossa alma, pois descansamos e esperamos no Senhor.

Pedro falando à multidão, depois que ele e João curaram um coxo, isto em Atos, capítulo três, chama o povo para o arrependimento e fala deste tempo de refrigério que podemos desfrutar, como está do versículo dezoito ao vinte: “mas Deus, assim, cumpriu o que dantes anunciara por boca de todos os profetas: que o seu Cristo havia de padecer. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados, a fim de que, da presença do Senhor, venham tempos de refrigério, e que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus,” (Atos dos Apóstolos 3.18–20, BEARA).

Mas temos que compreender que não ouvir, não se sujeitar a Cristo, implica que seremos exterminados do meio do povo, não agora, mas quando o Senhor voltar, como está no versículo vinte e três: “Acontecerá que toda alma que não ouvir a esse profeta será exterminada do meio do povo.” (Atos dos Apóstolos 3.23, BEARA).

A vida cristã não se trata de religiosidade, mas de nos sujeitarmos a Cristo como Senhor e Salvador, como o enviado do Pai, Aquele que cumpre a promessa, nos conduz à presença de Deus e nos faz filhos. Tendo sido feitos filhos, não temos outra maneira de viver que não segundo a Sua vontade, em obediência expressando como discípulos, o Senhor ao mundo, revelando Cristo a todos, pois o discípulo faz de sua vida uma oferta, como fez Seu mestre, para que o mundo possa conhecer a vontade do Pai e experimentar tempos de refrigério para a sua alma.

Anúncios