Corrução, um ato de nossos dias?

foto por: Mikhail Rakityanskiy em Unsplash

Estamos equivocados quanto a pensarmos que a corrupção que permeia a natureza humana é algo de nossos dias e não é, pois sempre esteve no coração humano com o desejo de tirar vantagens e poder comprar o outro. Não foi diferente nos dias de Jesus e não é nos nossos, por isso, precisamos morrer para a natureza humana, tomarmos a cruz e seguirmos o modelo de Cristo.

O conselho dos principais sacerdotes, responsáveis pela Sua crucificação, pagam aos soldados para que contem outra história, depois de Jesus ressuscitar, como está em Mateus, capítulo vinte e oito, do versículo onze ao quinze: “E, indo elas, eis que alguns da guarda foram à cidade e contaram aos principais sacerdotes tudo o que sucedera. Reunindo-se eles em conselho com os anciãos, deram grande soma de dinheiro aos soldados, recomendando-lhes que dissessem: Vieram de noite os discípulos dele e o roubaram enquanto dormíamos. Caso isto chegue ao conhecimento do governador, nós o persuadiremos e vos poremos em segurança. Eles, recebendo o dinheiro, fizeram como estavam instruídos. Esta versão divulgou-se entre os judeus até ao dia de hoje.” (Mateus 28.11–15, BEARA).

Compreendemos o quão crítico é para nós a natureza humana, em nos submetermos à sua vontade, fazermos da nossa vida instrumentos para revelar quem somos? Não podemos nos sucumbir aos desejos do pensamento natural, temos que compreender quem somos e o que recebemos de Deus, que fomos feitos novas criaturas, que recebemos da Sua autoridade e de Sua vida para andarmos neste mundo como Seus filhos, revelando em nossas obras a Sua glória.

Não se trata de dizermos quem somos, mas de andarmos como filhos de Deus, sendo imitadores de Cristo e revelando misericórdia e graça a todos para que conheçam o Pai e não nos deixemos ser corrompidos por pequenas coisas, tornando-nos traidores, negando Cristo e Sua obra em nossas vidas.

Agirmos como imitadores de Cristo, conduzirá as pessoas ao ensino do verdadeiro evangelho e expressão de Deus no mundo.

Anúncios