Onde está o nosso coração?

foto por: Sharon McCutcheon em Unsplash

Deus tem problemas com a riqueza? Esta é a questão que precisamos entender, pois não se trata de ser rico ou pobre, mas de onde temos colocado o nosso coração e a quem temos servido e assim ensinado outros a viverem da mesma maneira. Temos que entender que não podemos ser escravos das riquezas que temos, mas, meros administradores em favor do reino de Deus e principalmente, entendermos que não é o nosso deus

Jesus ensinando, no sermão da montanha, afirma o seguinte, no capítulo seis, no versículo dezenove: “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam;” (Mateus 6.19, BEARA). E no versículo vinte e um, Ele afirma: “porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.” (Mateus 6.21, BEARA). E no vinte e quatro compreendemos que: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” (Mateus 6.24, BEARA).Deus tem problemas com a riqueza? Esta é a questão que precisamos entender, pois não se trata de ser rico ou pobre, mas de onde temos colocado o nosso coração e a quem temos servido e assim ensinado outros a viverem da mesma maneira. Temos que entender que não podemos ser escravos das riquezas que temos, mas, meros administradores em favor do reino de Deus e principalmente, entendermos que não é o nosso deus.

A riqueza não pode estar no centro de nossas vidas e nem ser o objetivo dela. Devemos aprender a viver contentes com o que temos e principalmente entendermos que somos administradores de Deus, que todos os recursos que são colocados em nossas mãos, precisam ser usados com sabedoria e segundo a vontade Dele e não para servir aos nossos interesses.

Quando colocamos o nosso coração em acumular e gerar mais riquezas com o objetivo de satisfazer as nossas necessidades, na realidade, este é o nosso tesouro e é nisto que está o nosso coração. Quando compreendemos que a nossa vida é para revelar o Pai ao mundo e manifestar o Seu reino, então, tudo que fizermos será com zelo e empenho.

Neste processo, poderemos até enriquecer, mas não seremos escravos da riqueza e ela não será o nosso deus, pois compreenderemos e serviremos a Deus, fazendo de nossas vidas uma oferta em favor das pessoas e entenderemos que somos meros administradores dos recurso que estão em nossas mãos para servir àqueles que precisam.

Anúncios