Reconhecido no partir do pão

foto por: Monika Grabkowska em Unsplash

Em Lucas no capítulo vinte e quatro, no versículo dezesseis, podemos ler: “Os seus olhos, porém, estavam como que impedidos de o reconhecer.” (Lucas 24.16, BEARA).Precisamos compreender a importância do partir o pão (a celebração da ceia) em nossas vidas, pois como os discípulos de Emaús, embora tenham caminhado um bom tempo com Jesus, eles O reconheceram somente quando se assentaram à mesa e partiram o pão.

Esses discípulos tinham uma expectativa quanto a Jesus, pois esperavam que Ele fosse o libertador de Israel, mas pensaram isso na esperança de se libertarem do domínio do Império Romano. E Jesus veio trazer a libertação, numa perspectiva maior, plena, que era ter a mente iluminada com a vontade de Deus.

Mesmo que Jesus tenha explicado sobre o Messias, relacionado tudo que estava nas Escrituras, eles não O reconheceram, pois suas mentes estavam embotadas por suas perspectivas e desejos.

Quando tiveram o entendimento iluminado e reconheceram Cristo? Somente no partir do pão, como podemos ler do versículo trinta ao trinta e dois: “E aconteceu que, quando estavam à mesa, tomando ele o pão, abençoou-o e, tendo-o partido, lhes deu; então, se lhes abriram os olhos, e o reconheceram; mas ele desapareceu da presença deles. E disseram um ao outro: Porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?” (Lucas 24.30–32, BEARA).

A ceia é um momento de intimidade, de ligação, de reconhecimento que estamos profundamente ligados um ao outro. Que nossas vidas não estão separadas, mas unidas eternamente em Cristo. Precisamos ter a consciência de corpo, entender que a ceia é o momento de maior intimidade e que foi o próprio Deus que nos deu para que entendêssemos que é o Corpo de Cristo e que estamos unidos em um só propósito que é revelá-Lo ao mundo. E que a nossa jornada é testemunhar, mas também, de ensinar a outros sobre isso.

 

Anúncios