Por que não cremos nas palavras?

josh-adamski-116665

foto por: Josh Adamski em Unsplash

Em Lucas, embora tenha Cristo alertado, os discípulos não ouviram, mas quando o anjo, depois da ressurreição, falou as palavras Dele, as mulheres se lembraram, e foram contar aos discípulos que Ele estava vivo, mas eles não creram nelas.Precisamos compreender que vivemos pela fé, pelas palavras de Cristo, por Suas promessas, mas temos que ter o entendimento iluminado, precisamos aprender a ouvir com o desejo de compreender a vontade de Deus, para não buscarmos na palavra o atendimento de nossas expectativas e carências, como se Ele fosse responder segundo o que desejamos. Não cremos quando buscamos na palavra o atendimento de nossos desejos e não a vontade do Pai.

Podemos ler sobre isso, no capítulo vinte e quatro,  do versículo quatro ao sete: “Aconteceu que, perplexas a esse respeito, apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes. Estando elas possuídas de temor, baixando os olhos para o chão, eles lhes falaram: Por que buscais entre os mortos ao que vive? Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como vos preveniu, estando ainda na Galiléia, quando disse: Importa que o Filho do Homem seja entregue nas mãos de pecadores, e seja crucificado, e ressuscite no terceiro dia.” (Lucas 24.4–7, BEARA).

Temos que ler a palavra com o coração aberto, prontos para ouvir o que Deus deseja nos falar e nos ensinar, não na expectativa de ter as nossas respostas, mas, o conhecimento da Sua vontade. Quando assim agimos, buscando zelosamente pela vontade de Deus, então Ele nos conduz em todo entendimento e compreensão, e nos ajuda a lembrar de tudo que são as Suas promessas para as nossas vidas.

Precisamos ser instrumentos na vida das pessoas para que, vendo o nosso exemplo, possam aprender a honrar e glorificar o Pai e se responsabilizarem por outras vidas, ensinando-as, como nós fazemos, pois cremos nas promessas, não porque buscamos os nossos interesses, mas a vontade do Pai.

Anúncios