Anunciamos a vida eterna

foto por: Vidar Nordli-Mathisen em Unsplash

Não existe outra forma de termos alegria completa se não for meio da vida eterna que estava com o Criador e nos foi entregue por meio de Cristo, que Se ofertou voluntariamente para que pudéssemos receber dela. E é nosso papel, mantendo comunhão com o Pai e com Seu Filho, revelar e anunciar essa vida a todos para que possam conhecer e se submeterem a Ele por meio de Cristo, para que tenha a vida eterna do Criador e assim possamos manter comunhão uns com os outros.

João ensinando em sua primeira carta, capítulo um, do versículo um ao quatro, afirma: “O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo. Estas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa.” (1João 1.1–4, BEARA).

Que possamos entender que se não temos comunhão com o Pai e o Filho, não temos como revelar a vida de Deus, precisamos portanto, crescer, amadurecer, desenvolvermos essa comunhão para que ela seja expressa nos nossos relacionamentos.  Pois se não conhecermos o Pai e o Filho, não seremos capazes, como o nosso Deus foi, de ser oferta em favor dos outros para que possam experimentar da vida eterna que está Nele.

A nossa alegria é completa quando compreendemos que temos e precisamos viver neste mundo como o nosso Deus, sendo oferta em favor das pessoas para que possam conhecer o Pai e assim, se ofertarem, e por isso revelarem a comunhão com o Pai e uns com os outros fundamentados no mesmo princípio.

Introdução as cartas de João

reflexão do dia

Anúncios