Livres da maldição da lei

quinten-de-graaf-258711 - 500x250

foto por: Quinten de Graaf em Unsplash

No nosso raciocínio natural concebemos a ideia que se fizermos alguma coisa, se nos empenharmos fazendo coisas boas ou mesmo se obedecermos a mandamentos, honrarmos dogmas que nos são ensinados Deus irá nos aceitar e nos salvar e não compreendemos que Cristo veio para nos libertar deste tipo de jugo. Temos e precisamos compreender que Ele nos aceita por Sua graça e não por obra que possamos fazer.

Paulo, na carta aos Gálatas, fala sobre este aspecto de termos sido libertos da maldição da lei. Podemos ler no capítulo três, do versículo onze ao quatorze: “É claro que ninguém é aceito por Deus por meio da lei, pois as Escrituras dizem: “Viverá aquele que, por meio da fé, é aceito por Deus.” Mas a lei não tem nada a ver com a fé. Pelo contrário, como dizem as Escrituras: “Viverá aquele que fizer o que a lei manda.” Porém Cristo, tornando-se maldição por nós, nos livrou da maldição imposta pela lei. Como dizem as Escrituras: “Maldito todo aquele que for pendurado numa cruz!” Cristo fez isso para que a bênção que Deus prometeu a Abraão seja dada, por meio de Cristo Jesus, aos não-judeus e para que todos nós recebamos por meio da fé o Espírito que Deus prometeu.” (Gálatas 3.11–14, NTLHE).

Não podemos viver o reino de Deus baseados no nosso empenho e esforço, mas no entendimento da oferta de Cristo. Ele é a expressão da graça de Deus. Ele se fez maldição em nosso favor, para sermos libertos deste pensamento maldito de que precisamos nos empenhar para alcançar a Deus. Temos que entender que nós somos alcançados por Ele, somos salvos pela graça, decorrente da obra de Cristo em nosso favor. E que nós, como filhos, tendo conhecido e experimentado dela, temos que ser sua expressão viva entre as pessoas, por isso, precisamos nos ofertar em favor delas para que conheçam o nosso Deus e Pai.

Anúncios