Não se trata de poder, mas do Reino

foto por: Carlo Navarro on Unsplash

Temos que compreender que andar com Deus, viver o Seu reino, não se trata de poder, mas de conhece-Lo, de ser nascido Dele, pois Nele está a vida e no conhecimento Dele a expressão da Sua vontade, fomos chamados para sermos seres espirituais e revela-Lo ao mundo.

Jesus conversando com um religioso, Nicodemos, fala com relação a estas coisas. No evangelho de João, no capítulo três, no versículo dois, Nicodemos fala de milagres, do poder de Deus, como podemos ler: “Uma noite ele foi visitar Jesus e disse: — Rabi, nós sabemos que o senhor é um mestre que Deus enviou, pois ninguém pode fazer esses milagres se Deus não estiver com ele.” (João 3.2, NTLHE). E Jesus respondendo, a ele, afirma que precisa nascer de novo, como podemos ler no três: “ Jesus respondeu: — Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode ver o Reino de Deus se não nascer de novo.” (João 3.3, NTLHE).

O religioso falou de poder, Jesus falou de ver o Reino e para isso precisa nascer de novo, nascer de Deus, nascer do Espírito, como está nos versículos cinco e seis: “ Jesus disse: — Eu afirmo ao senhor que isto é verdade: ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito. Quem nasce de pais humanos é um ser de natureza humana; quem nasce do Espírito é um ser de natureza espiritual.” (João 3.5–6, NTLHE). E do versículo treze ao quinze, Jesus fala de oferta, de morrer, para que pudéssemos ter vida, como podemos ler: “Ninguém subiu ao céu, a não ser o Filho do Homem, que desceu do céu. Assim como Moisés, no deserto, levantou a cobra de bronze numa estaca, assim também o Filho do Homem tem de ser levantado, para que todos os que crerem nele tenham a vida eterna.” (João 3.13–15, NTLHE).

E do dezesseis ao dezoito, Ele fala da oferta de Deus em nosso favor: “Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna. Pois Deus mandou o seu Filho para salvar o mundo e não para julgá-lo. Aquele que crê no Filho não é julgado; mas quem não crê já está julgado porque não crê no Filho único de Deus.” (João 3.16–18, NTLHE).

Precisamos entender que não se trata de poder, mas, de conhecer o Pai, compreender a Sua vontade e entendermos que vivemos o Seu Reino e andarmos na Sua vontade, quando fazemos da nossa vida uma oferta, tomamos a cruz e seguimos o exemplo de Cristo, pois só assim, expressamos nosso amor por Ele, Sua vontade e O honramos fazendo o que Lhe agrada. Na oferta que fazemos em favor das pessoas, revelamos que conhecemos o Pai e expressamos a compaixão em favor delas para que O conheçam, por isso, não se trata do poder de Deus, mas de conhece-Lo.

Anúncios