Na miserabilidade a justificação

Foto por: Andréas BRUN em Unsplash

Quando Jesus está ensinando em Lucas, no capítulo dezoito, versículos treze e quatorze, afirma:

O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado.

(Lucas 18.13–14 RA).

Sermos participantes de graça de Deus e recebemos a Sua salvação não depende do nosso conhecimento bíblico e esforço em viver segundo a moral ou fundamentados em mandamentos, pois não recebemos o reino decorrente de nossa arrogância em achar que somos merecedores. Recebemos por reconhecer a nossa miserabilidade e incapacidade para atender aos padrões de nosso Deus. Recebemos a vida e a salvação, por causa da Sua graça que operou em nós, trazendo nos o entendimento de Sua salvação. Recebemos a vida eterna, não porque fizemos algo, mas por reconhecermos que dependemos totalmente Dele e da Sua obra em nosso favor por meio de Cristo.

Recebemos a vida eterna de nosso Deus por causa da Sua graça, somos abençoados com a salvação por causa do nosso reconhecimento de miserabilidade e por sabermos que somos justificados não pelo que fizemos, mas por causa da graça e do amor revelado em Cristo que nos conduz a realizar as obras que glorificam ao Pai.

Ouça a mensagem no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE