Que tipo de fonte tem sido nossa boca?

Que tipo de fonte tem sido nossa boca?

foto por: Joshua J. Cotten em Unsplash

Tiago escrevendo em sua carta, no capítulo três, do versículo sete ao doze, fala sobre o tipo de fonte que tem sido a nossa boca, como podemos ler:

…. Mas ninguém ainda foi capaz de dominar a língua. Ela é má, cheia de veneno mortal, e ninguém a pode controlar. Usamos a língua tanto para agradecer ao Senhor e Pai como para amaldiçoar as pessoas, que foram criadas parecidas com Deus. Da mesma boca saem palavras tanto de agradecimento como de maldição. Meus irmãos, isso não deve ser assim. Por acaso pode a mesma fonte jorrar água doce e água amarga? Meus irmãos, por acaso pode uma figueira dar azeitonas ou um pé de uva dar figos? Assim, também, uma fonte de água salgada não pode dar água doce.” (Tiago 3.7–12, NTLHE).

O que tem saído de nossas bocas? O que ele descreve ou temos amadurecido e expressado de fato quem somos em Deus? Revelamos que somos sábios, que O conhecemos, que andamos na Sua vontade quando caminhamos para a maturidade, despimos dos valores deste mundo, da sua forma de pensar e compreendemos quem somos e revelamos Cristo em nossas palavras e ações? Não podemos ficar em cima do muro, ora fazendo o que precisamos como filhos de Deus, ora como filhos do diabo. Não podemos ser dos dois, pois isto não existe. Entendermos que somos e rejeitamos a natureza humana, expressando Cristo é que nos faz cidadãos do reino de Deus.

Não existe uma maneira de expressarmos Deus e andarmos na Sua vontade que não rejeitando a natureza humana e agindo pela obra que Cristo realizou em nós, pois nos libertou e nos conduziu ao conhecimento do Pai para que nossa boca seja uma fonte para a Sua glória.

Ouça a mensagem completa no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLEPODCAS