Muito antes de qualquer possibilidade

Muito antes de qualquer possibilidade

foto por: Ennio Gomide

Quando Estevão está diante do sinédrio, ele lembra das promessas de Deus, como podemos ler em Atos, capítulo sete, do versículo um ao cinco:

 “O Grande Sacerdote perguntou a Estêvão: — O que essas pessoas estão dizendo é verdade? Estêvão respondeu: — Irmãos e pais, escutem! O glorioso Deus apareceu ao nosso antepassado Abraão quando este morava na região da Mesopotâmia, antes de ir morar na cidade de Harã. E Deus lhe disse: “Saia da sua terra e do meio dos seus parentes e vá para uma terra que eu lhe mostrarei.” Então ele saiu da Caldéia e foi morar em Harã. Depois que o pai dele morreu, Deus trouxe Abraão para esta terra onde vocês agora estão morando. Ele não deu a Abraão nem mesmo um palmo desta terra, mas prometeu que ia lhe dar toda esta terra e que depois ela seria dos seus descendentes. Quando Deus fez essa promessa, Abraão ainda não tinha filhos.” (Atos dos Apóstolos 7.1–5, NTLHE).

Quando compreendemos as promessas de Deus e entendemos os Seus processos, aprendemos a confiar e amadurecemos na fé como aconteceu com Abraão. Ele não viu nada do que lhe havia sido prometido, mas confiou que tudo iria acontecer.

Assim como ele, precisamos conhecer as promessas, aprendermos a nos submeter à vontade de Deus como ele e a cumprirmos nossa jornada, rejeitando a forma de pensar deste mundo e aprendermos a pensar como Cristo, para desfrutarmos a plenitude de vida prometida Nele.

Viver a plenitude de vida prometida com Cristo implica em aprendermos a confiar e a andar como Abraão: não pelo que vemos, mas segundo as promessas feitas por nosso Deus.