Cumprir o que veio para fazer

Cumprir o que veio para fazer

foto por: Ben Karpinski em Unsplash

Não podemos nos omitir quando entendemos que a vontade do Senhor é nos usar para fazermos algo, pois se nos omitirmos deixaremos de cumprir o nosso papel. Precisamos, mesmo diante de grandes desafios, com a capacitação que recebemos, nos colocar nas mãos de Deus para que Ele opere em nós e através de nós, conduzindo as pessoas à liberdade.

Com Davi não foi diferente, pois Deus o havia capacitado e seria usado para a libertação de Israel do jugo filisteu, mas para isso, Davi precisava se dispor para ser usado.

Podemos ler sobre esta questão em primeira Samuel, no capítulo dezessete, versículos trinta e quatro a trinta e sete: “— Meu senhor, — disse Davi — eu tomo conta das ovelhas do meu pai. Quando um leão ou um urso carrega uma ovelha, eu vou atrás dele, ataco e tomo a ovelha. Se o leão ou o urso me ataca, eu o agarro pelo pescoço e o golpeio até matá-lo. Tenho matado leões e ursos e vou fazer o mesmo com esse filisteu pagão, que desafiou o exército do Deus vivo. O Senhor Deus me salvou dos leões e dos ursos e me salvará também desse filisteu. — Pois bem! — respondeu Saul. — Vá, e que o Senhor Deus esteja com você!” (1Samuel 17.34–37, NTLHE).

As situações que ele enfrentou, deu-lhe condições para saber que Deus o usaria naquele propósito. Por isso, ele tinha a confiança de se colocar em favor de realizar o que precisava ser feito, pois se Deus o havia livrado de leões e ursos, por que não o livraria do filisteu Golias?

Estas questões que devemos pensar quando nos oferecemos para fazer algo, pois Deus nos dá por meio do Espírito, o descanso para confiarmos Nele e sermos usados para cumprir a Sua vontade.