Transferência da culpa

A transferência da culpa

foto por: Ben Karpinski em Unsplash

Umas das expressões da queda do homem, da sua degradação é não assumir a responsabilidade pelos seus erros e querer transferir para outro a culpa de seus atos. Desde a queda esta é uma característica do ser humano, como podemos ler na conversa entre Deus e os homens depois que eles transgrediram a determinação do Senhor.

Podemos ler sobre isso em Gênesis, capítulo três, versículos onze ao treze: “Aí Deus perguntou: — E quem foi que lhe disse que você estava nu? Por acaso você comeu a fruta da árvore que eu o proibi de comer? O homem disse: A mulher que me deste para ser a minha companheira me deu a fruta, e eu comi. Então o Senhor Deus perguntou à mulher: Por que você fez isso? A mulher respondeu: A cobra me enganou, e eu comi.” (Gênesis 3.11–13, NTLHE).

O homem transferiu para a mulher e a mulher culpou a satanás por seus pecados. Agora, quando refletimos no nosso dia a dia, nas coisas que fazemos, nas escolhas equivocadas, nos pecados que cometemos, qual tem sido a nossa atitude? De assumir a responsabilidade pelo erro e falha ou querer transferir para outro ou outra coisa o motivo de nossos erros e pecados?

São estas coisas que revelam o conhecimento de Deus, a maturidade e o entendimento de nosso papel. Quando conhecemos a Deus e caminhamos para a maturidade uma das primeiras coisas que fazemos, depois do arrependimento, é o reconhecimento que somos os responsáveis, ninguém mais. Erramos e pecamos por causa da nossa cobiça, dos nossos desejos e vontades e não porque o outro tem responsabilidade nisso.