A responsabilidade em nossas mãos

A responsabilidade em nossas mãos

foto por: Annie Spratt em Unsplash

O evangelho é mais simples do que pensamos e não se trata dos que andam ou não conosco, mas da mensagem anunciada e do quanto nos preocupamos e somos precavidos quanto aos que são novos na fé, pois se formos para eles motivo de tropeço, levando-os a se afastarem do evangelho, melhor que morrêssemos.

Jesus ensinando aos discípulos, no evangelho de Marcos, capítulo nove, versículo trinta e oito ao quarenta e dois, afirma: “João disse: — Mestre, vimos um homem que expulsa demônios pelo poder do nome do senhor, mas nós o proibimos de fazer isso porque ele não é do nosso grupo. Jesus respondeu: — Não o proíbam, pois não há ninguém que faça milagres pelo poder do meu nome e logo depois seja capaz de falar mal de mim. Porque quem não é contra nós é por nós. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem der um copo de água a vocês, porque vocês são de Cristo, com toda a certeza receberá a sua recompensa. Jesus continuou: — Quanto a estes pequeninos que crêem em mim, se alguém for culpado de um deles me abandonar, seria melhor para essa pessoa que ela fosse jogada no mar, com uma pedra grande amarrada no pescoço.” (Marcos 9.38–42, NTLHE).

Temos que compreender que a mensagem tem que ser espalhada por todo o mundo, todos precisam compreender que Cristo é o salvador, todos precisam ter ciência da salvação provida por Deus e que somos responsáveis pelas vidas, pois devemos ensina-las e conduzi-las na vontade do Pai e não sermos obstáculo para elas, mas precisamos agir como Cristo, ofertando a nós mesmos e não sendo motivo de tropeço por causa de nosso ponto de vista e interesse. Somos responsáveis por conduzir as pessoas à maturidade e não leva-las a se afastarem do evangelho.