O amor na prática

O amor na prática

foto por: Hello I’m Nik 🇬🇧 on Unsplash

Pensamos que a vida com Deus se trata de manifestação de poder, das coisas extraordinárias, do conhecimento que podemos ter com relação às ciências naturais e espirituais, das obras que podemos realizar, mas não se trata disso, e sim, do quanto revelamos o amor de Cristo em nossos relacionamentos e somos luz para os irmãos e o mundo, para levarmos todos ao conhecimento do Pai.

Paulo, em sua primeira carta aos Coríntios, capítulo treze, do versículo um ao três, trata desta questão: “Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.” (1Coríntios 13.1–3, BEARA).

Temos que entender que o reino de Deus não se trata do outro, nem do que ele faz, nem do seu entendimento, mas de nós, do quanto entendemos, compreendemos e andamos segundo a vontade do Pai, revelando em nossos relacionamentos o amor de Cristo, que se fez oferta em nosso favor. Devemos ser Seus imitadores e nos ofertarmos para que o outro possa ter a oportunidade de conhecer o Pai e a Sua vontade.

Anúncios