A jornada do Reino

Temos que entender a nossa jornada, nosso papel, nossa missão e nosso chamado não sob a nossa perspectiva e desejo, mas segundo a vontade de Deus, conforme o plano estabelecido por Ele desde os tempos eternos, antes mesmo da criação. Nossa vida é para revelar o Seu reino, manifestar a Sua justiça, sermos instrumentos de expressão da Sua graça e misericórdia e para isso, não precisamos nos preocupar com o que carregar nesta jornada, pois embora possamos usar de tudo, não podemos estar presos a nada desta vida, pois o nosso reino não é aqui.

Jesus, instruindo os Seus discípulos, o faz de maneira simples e precisamos entender a nossa vida na mesma perspectiva de como devemos revelar e proclamar o reino, podemos ter todas as coisas, mas não podemos estar presos a elas.

Quando Ele enviou os discípulos, em Marcos, no capítulo seis, nos versículos sete e oito: “Ele chamou os doze discípulos e os enviou dois a dois, dando-lhes autoridade para expulsar espíritos maus. Deu ordem para não levarem nada na viagem, somente uma bengala para se apoiar. Não deviam levar comida, nem sacola, nem dinheiroDeviam calçar sandálias e não levar nem uma túnica a mais.” (Marcos 6.7–9, NTLHE).

Precisamos entender que usamos estas coisas, precisamos delas, mas não dependemos delas, pois todas nos serão providas. Não podemos colocar o nosso coração nelas. Usamos, temos, recebemos, podemos passar necessidades, dificuldades, lutas, termos abundância ou falta, não importa, pois tudo nos será provido quando vivemos na dependência do Pai, buscando o Seu reino em primeiro lugar. Quando assim fazemos, teremos os nossos celeiros supridos conforme precisarmos e não pelas nossas expectativas. Temos que ter o entendimento que somente não temos o que não precisamos.

Anúncios