Nós iríamos?

Um homem, chefe de uma sinagoga, chega diante de Jesus, joga-se aos Seus pés e o implora que vá com ele porque a sua filha está morrendo. E nós? Iríamos? Quantas e quantas pessoas têm clamado diante de nós? Quantas estão aflitas? E nós, o que temos feito? Temos ido com elas? Ou o que temos feito é a busca incessante dos nossos interesses? Que atitude  e reação temos diante de uma multidão aflita? Como Jesus disse, parecem ovelhas sem pastor, por isso, precisamos aprender que temos que fazer da nossa vida uma oferta em favor de todos.

Esta situação que Jesus enfrentou está em Marcos, no capítulo cinco, do versículo vinte e dois ao vinte e quatro, como podemos ler: “Um homem chamado Jairo, chefe da sinagoga, foi e se jogou aos pés de Jesus, pedindo com muita insistência: — A minha filha está morrendo! Venha comigo e ponha as mãos sobre ela para que sare e viva! E Jesus foi com ele. Uma grande multidão foi junto e o apertava de todos os lados.” (Marcos 5.22–24, NTLHE).

Precisamos parar, repensar e rever as decisões que tomamos, pois precisamos agir segundo o que somos em Deus, conforme a identidade que temos Nele. Somos Dele, criados por Ele, para vivermos por meio Dele. Não temos alternativa, como filhos, que não seja revela-Lo e sermos Seus imitadores neste mundo. Nós O imitamos, quando fazemos de nossa vida uma oferta em favor de todas as pessoas que precisam e não buscamos os nossos interesses e nem priorizamos os nossos sonhos.

Anúncios