Entendendo o amor a revelar

Salvos pela graça de Deus, por meio da fé em Cristo Jesus, e tendo o entendimento que as aflições, são para amadurecermos, gerar em nós paciência e sermos aprovados para criar em nós esperança e ela está no fato Dele ter derramado abundantemente do Seu amor revelado quando ainda éramos pecadores, para que fôssemos expressão deste amor com as pessoas, revelando o nosso Deus e agindo como Ele  com os homens, conduzindo-os ao Seu conhecimento e da Sua graça maravilhosa.

Paulo fala sobre estes aspectos na carta aos Romanos, no capítulo cinco, nos versículos um e dois, fala de participarmos desta glória: “Agora que fomos aceitos por Deus pela nossa fé nele, temos paz com ele por meio do nosso Senhor Jesus Cristo. Foi Cristo quem nos deu, por meio da nossa fé, esta vida na graça de Deus. E agora continuamos firmes nessa graça e nos alegramos na esperança de participar da glória de Deus.” (Romanos 5.1–2, NTLHE).

Tendo este entendimento, compreendemos os sofrimentos, lutas e aflições na perspectiva do aperfeiçoamento e conhecimento de Deus e não é um ato para nos punir, como podemos ler nos versículos três e quatro:  “E também nos alegramos nos sofrimentos, pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança.” (Romanos 5.3–4, NTLHE).

Como consequência, temos a esperança operando e nos conduzindo ao entendimento que somos cheios do amor de Deus, como está no versículo cinco: “Essa esperança não nos deixa decepcionados, pois Deus derramou o seu amor no nosso coração, por meio do Espírito Santo, que ele nos deu.” (Romanos 5.5, NTLHE). E o Seu amor se revela no fato de ter sido ofertado, materializado, em Cristo, como uma oferta, sendo nós ainda pecadores, como podemos ler no versículo oito: “ Mas Deus nos mostrou o quanto nos ama: Cristo morreu por nós quando ainda vivíamos no pecado.” (Romanos 5.8, NTLHE).

Tendo o entendimento do amor do Criador, a compreensão que este amor foi derramado abundantemente em nossas vidas pelo Espírito Santo, compreendendo que temos que revelar este amor aos pecadores e ignorantes, ou seja, àqueles que ainda não conhecem e nem compreendem a graça, mas como o entendimento que nós somos a oferta, o Cristo de Deus, a expressão da graça diante das pessoas, para que possam, sendo nós imitadores e expressão do Deus vivo, conduzir todos ao conhecimento Dele.

Anúncios