Não é bajulando que cumprimos o amor

Não é bajulando que cumprimos o amor

foto por: Patrick Federi em Unsplash

Tiago em sua carta, afirma no capítulo dois, do versículo oito ao onze:

Se vós, contudo, observais a lei régia segundo a Escritura: Amarás o teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem; se, todavia, fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, sendo arguidos pela lei como transgressores. Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos. Porquanto, aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém matas, vens a ser transgressor da lei.” (Tiago 2.8–11 RA).

Quando não entendemos o amor de Deus e achamos que se trata de gostar muito ou mesmo pensarmos que podemos usufruir algum benefício de uma relação e agimos de forma a bajular, a tratar bem alguns em detrimento de outros, somente revelamos que não entendemos o significado do amor de Deus que devemos expressar em favor de todas as pessoas. Quando fazemos acepção e desprezamos alguém em detrimento de outros que podem nos favorecer, somente revelamos que andamos segundo a maneira de pensar deste mundo e não pelo amor que Cristo revelou em nosso favor e que determinou que amássemos como Ele.

Quando bajulamos e tratamos bem alguém somente pelo que pode nos favorecer, revelamos que fazemos acepção de pessoas, pois desprezamos quem não tem nada a nos oferecer, pois fazendo assim, manifestamos que andamos segundo o pensar deste mundo e não segundo a lei do amor.

Ouça a mensagem no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX,SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE