Qualquer semelhança é só coincidência

Quando olhamos a história do povo de Israel, sua saída do Egito, a peregrinação do deserto, o libertar e o prover de Deus em todas as situações, nossa expectativa era que este povo fosse fiel e não caíssem em pecado, mas não é o que vemos, pois com todo o livramento, ainda cediam à cobiça, ainda buscavam os seus desejos, tinham inveja e todas as outras formas de pensar e agir natural. E nós? Somos diferentes? Não! Embora conhecendo a vontade de Deus, compreendendo que fomos capacitados, não buscamos o conhecimento do Senhor, mas insistimos nos mesmos pecados e na busca do interesse próprio.