Achando que podemos apontar o dedo

Quando achamos que por conhecermos a vontade de Deus, temos o direito de apontar o dedo para aqueles que não conhecem, estamos na realidade cometendo pecado tanto quanto os que estamos condenando, como está na carta aos Romanos, capítulo dois, versículos um e dois:

Portanto, és indesculpável, ó homem, quando julgas, quem quer que sejas; porque, no que julgas a outro, a ti mesmo te condenas; pois praticas as próprias coisas que condenas. Bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade contra os que praticam tais coisas.” (Romanos 2.1–2 RA).

O juízo de Deus se revela não no nosso conhecimento, mas na maneira como vivemos e quando compreendemos a nossa realidade e dependência Dele e Sua graça para fazer o que O agrada, na realidade, estamos andando como imitadores de Cristo, revelando a Deus e não seremos capazes de apontar o dedo às pessoas, mas revelaremos graça, misericórdia e compaixão diante da ignorância alheia, fazendo tudo para que possam ter o entendimento iluminado e andem na vontade do Senhor.

Precisamos entender que não somos chamados por causa do nosso conhecimento, julgando as pessoas e seus pecados, mas, para compreendendo a cegueira alheia, sejamos capazes de nos comprometermos com o nosso Deus e sermos luz neste mundo, andando na verdade e proclamando as Suas virtudes para que todos possam ter o entendimento iluminado.

Ouça a mensagem completa no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE