Mentindo para Deus

Mentindo para Deus

foto por: Martín Berrios em Unsplash

Em Atos, no capítulo cinco, versículos três e quatro, temos a história de Ananias e Safira que mentiram sobre a oferta que tinham feito, como podemos ler:

Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus.” (Atos dos Apóstolos 5.3–4, RA).

Nós não levamos a sério a mentira, achamos que é um delito mínimo, como se para Deus houvesse esta condição. Temos que entender que quando estamos fazendo assim, na realidade estamos pecando contra o nosso Deus. Por isso Ele afirmou que junto com outros “tipos de pecadores” o mentiroso não tinha parte no Seu reino. Temos que entender que quando estamos mentindo, estamos desonrando ao nosso Deus, negando quem somos e não revelamos os valores eternos do reino. Talvez nos falte autoridade como a de Pedro para incutir nas pessoas o verdadeiro temor, mas temos que nos comprometer com o Pai e a Sua vontade, honrando o Seu nome, não vivendo de forma contrária a Sua natureza.

Como qualquer tipo de pecado, quando mentimos estamos fazendo para Deus, não simplesmente para homens. Precisamos levar a  sério as coisas relacionadas ao Seu reino, para andarmos segundo os valores eternos e não conforme a natureza humana. Qualquer pecado que estejamos cometendo, mesmo que no nosso conceito seja mínimo, é contra o Criador que estamos pecando e é a Ele que estamos desonrando.

Ouça a reflexão completa no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE