Não dourando a pílula

Não dourando a pílula

foto por:  Anna Shvets em Pexels

Paulo escrevendo sua primeira carta, aos irmãos de Tessalônica, afirma no capítulo quatro sobre a maneira como se deve viver e nos versículos três ao cinco, afirma:

“O que Deus quer de vocês é isto: que sejam completamente dedicados a ele e que fiquem livres da imoralidade. Que cada um saiba viver com a sua esposa de um modo que agrade a Deus, com todo o respeito e não com paixões sexuais baixas, como fazem os incrédulos, que não conhecem a Deus.” (1Tessalonicenses 4.3–5, NTLHE).

Compreendermos o significado de imoralidade sexual segundo as Escrituras é fundamental para entendermos a maneira como devemos viver. O sexo não está fora da vontade de Deus quando realizado dentro do casamento, quando há compromisso e respeito entre as duas pessoas que fizeram escolhas de permanecer e estarem juntas.

Mas, quando pautamos nossas vidas pelo adultério, pela cobiça (desejar a mulher ou o marido alheio), pornografia, prostituição, violencia sexual, sexo fora de um compromisso, incesto, bestialidade e tantas outras formas de sua realização, estamos agindo fora do plano e da vontade de Deus, por mais prazeroso que possa ser para nós.

Quando entendemos que devemos amar uns aos outros, compreendemos que o amor se trata de fazer o bem ao outro, não o mal. Quando agimos somente segundo os nossos desejos e interesses, não expressamos amor, mas queremos usar o outro para satisfazer aos nossos interesses.

Ouça a mensagem completa no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLEPODCAST