Ligando o “dane-se” e agindo como Adão

Como cristãos, responsáveis por pessoas e por vidas, não podemos ligar no automático dos números da pandemia e nem jogar na mão dos outros a responsabilidade pelas decisões que devem ser nossas.