Não partilhar do mesmo pensamento

Não partilhar do mesmo pensamento

foto por: Clay Banks em Unsplash

Somos chamados para revelarmos o reino de Deus, vivermos segundo a Sua justiça, proclamarmos as virtudes Daquele que nos tirou das trevas, por isso, não podemos compartilhar da mesma maneira de pensar e nem andar neste mundo segundo o pensamento natural, mas devemos, como espirituais que somos, pensarmos segundo a mente de Cristo que recebemos no novo nascimento.

No livro de Apocalipse, capítulo dezoito, do versículo um ao cinco, fala que o povo de Deus deveria se retirar da cidade,  não ser cúmplices dos pecados que eram praticadas na nela, como podemos ler: “Depois destas coisas, vi descer do céu outro anjo, que tinha grande autoridade, e a terra se iluminou com a sua glória. Então, exclamou com potente voz, dizendo: Caiu! Caiu a grande Babilônia e se tornou morada de demônios, covil de toda espécie de espírito imundo e esconderijo de todo gênero de ave imunda e detestável, pois todas as nações têm bebido do vinho do furor da sua prostituição. Com ela se prostituíram os reis da terra. Também os mercadores da terra se enriqueceram à custa da sua luxúria. Ouvi outra voz do céu, dizendo: Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos; porque os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou dos atos iníquos que ela praticou.” (Apocalipse 18.1–5, BEARA).

Não se trata, quando falamos do reino de Deus, de nos apartarmos das cidades, nem nos afastarmos das pessoas, mas, de não participarmos das mesmas obras, não vivermos pelo mesmo fundamento, mas estando no meio das nações, devemos revelar o reino e as virtudes de Deus, realizando obras que revelam  Sua retidão e justiça diante de todos, só assim, poderemos ser instrumentos de salvação de muitos.