O sacrifício que agrada e revela o Pai

O sacrifício que agrada e revela o Pai

foto por: Vino Li em Unsplash

O que Cristo fez por nós, fazendo de Si mesmo o cordeiro para que pelo Seu sacrifício, pudéssemos ter acesso a Deus, o Pai, sendo reconciliados pelo Seu sangue na cruz em nosso favor é que nos assegura a vida eterna que está em conhecermos ao Pai e revelar a obra que devemos fazer.

Jesus, como Isaque que levou a própria madeira do sacrifício, foi a oferta que precisamos aprender a ser em favor das pessoas para que conheçam o Pai e a Sua vontade, como podemos ler em João, capítulo dezenove, versículos dezessete e dezoito: “Tomaram eles, pois, a Jesus; e ele próprio, carregando a sua cruz, saiu para o lugar chamado Calvário, Gólgota em hebraico, onde o crucificaram e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio.” (João 19.17–18, BEARA).

Tendo realizado a obra de Deus, Ele entrega o Seu espírito em nosso favor, como está no versículo trinta: “Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito.” (João 19.30, BEARA).

Ao compreendermos que a salvação é pela graça e que não requer de nós o empenho para alcançá-la, pois é mérito de Cristo em nosso favor, pois se fez oferta para que fôssemos reconciliados e libertos do domínio do pecado.

Agora, já não sendo escravos do pecado, devemos como o Senhor, sermos oferta em favor das pessoas, não oferecendo os nossos membros ao pecado, mas à prática da justiça, realizando obras que revelam o Pai e que conduzam as pessoas ao conhecimento da Sua vontade, da Sua vida e da libertação que nos concede. Temos que abrir mão de nossos desejos e fazermos, como Cristo, o sacrifício em favor dos outros.