As coisas são mais simples que parecem

As coisas são mais simples que parecem

foto por:  Casey Horner em Unsplash

Entendermos o reino de Deus, nosso papel, responsabilidade e o que de nós é esperado é fundamental, mas para tal, precisamos ter a consciência transformada e o entendimento sobre quem somos em Deus para não agirmos segundo a religiosidade e pensamento natural que em nada nos conduz à Sua vontade.

Fomos feitos filhos de Deus, recebemos um novo coração, somos uma nova criatura, criado à imagem de Cristo para revelarmos o Pai, por isso, como candeia para iluminar o mundo, como Jesus falou em Marcos, capítulo quatro, do versículo vinte e um ao vinte e três: “Também lhes disse: Vem, porventura, a candeia para ser posta debaixo do alqueire ou da cama? Não vem, antes, para ser colocada no velador? Pois nada está oculto, senão para ser manifesto; e nada se faz escondido, senão para ser revelado. Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça.” (Marcos 4.21–23, BEARA).

E entendermos que não se trata de religiosidade, mas de revelarmos a autoridade que recebemos de Deus, andando segundo os valores eternos, expressando-os em palavras, confirmando as nossas ações, como está do versículo vinte e quatro ao vinte cinco: “Então, lhes disse: Atentai no que ouvis. Com a medida com que tiverdes medido vos medirão também, e ainda se vos acrescentará. Pois ao que tem se lhe dará; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.” (Marcos 4.24–25, BEARA).

Somos a luz do mundo, expressão de nosso Deus, fomos feitos para sermos imitadores de Cristo, revelando o Pai ao mundo, por isso não podemos viver de forma diferente e nem revelar a hipocrisia religiosa. Por isso, precisamos entender que temos e precisamos viver de forma simples o reino de Deus, revelando o Pai, andando como Cristo e não segundo religiosidade e dogmas que possamos criar.