O verdadeiro culto a Deus

O verdadeiro culto a Deus

foto por: Alex Braga em Unsplash

Podemos achar que Deus se alegra com as nossas reuniões, que semanalmente fica esperando por cada evento para que nós O louvemos e Ele se sinta feliz e não venha derramar sobre nós a Sua ira. Mas, não é este o tipo de culto que Ele busca, não é esta a Sua vontade e nem é nisso que Ele tem prazer. Ele busca adoradores que O adorem em espírito e em verdade. Ele deseja pessoas que compreendam a Sua vontade, se submetam a ela e que andem neste mundo como Cristo, seguindo o Seu modelo.

Paulo, depois de explicar a salvação de Deus, convocou aos irmãos para o verdadeiro culto, no qual Deus se alegra e está o Seu prazer. Podemos ler sobre esta questão em Romanos, capítulo doze, versículos um e dois: “Rogo-vos, pois,irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12.1–2, BEARA).

O verdadeiro culto está em oferecermos o nosso corpo por sacrifício e oferta a Deus, fazendo com entendimento, por isso não se trata de um momento, mas de uma forma de vivermos o nosso dia a dia e as coisas que fazemos. O culto não está no que oferecemos que não nos custe nada, além de uma ínfima parte do nosso tempo, mas, sem sermos a oferta integral e permanente como Cristo fez em nosso favor. Nos ofertarmos a Deus é nos entregarmos em favor das pessoas para que possam conhecê-Lo. O culto não está no louvor que fazemos, mas no transformar do entendimento, deixando de pensar segundo os padrões e valores deste mundo e passarmos a agir como quem recebeu a mente de Cristo no novo nascimento e foi feito a Sua imagem, para sermos como Ele: oferta.