Fazendo filhos de Deus ou filhos do inferno?

Fazendo filhos de Deus ou filhos do Inferno?

foto por: Annie Spratt em Unsplash

Conhecermos a Deus nos leva a agirmos como Ele, a sermos como Cristo neste mundo, a ofertarmos as nossas vidas em favor das pessoas para que possam conhecer o Pai e a Sua vontade. Não se trata de conhecer sobre Deus, falar sobre Ele, mas de expressá-Lo ao mundo, por causa de quem somos. Quando imitamos a Cristo, revelamos que somos filhos de Deus, mas, quando falamos sobre Ele e agimos de forma diferente, estamos sendo meros religiosos e o que queremos é ensinar pessoas sobre a nossa religião para fazer delas seguidores de nossa “fé”. Não estamos aqui para fazermos prosélitos, converter pessoas à “nossa” religião, pois quando fazemos assim, na realidade estamos gerando filhos do inferno.

Jesus dirigindo-Se aos religiosos, em Mateus no capítulo vinte e três, versículo quinze, afirmou: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós!” (Mateus 23.15, BEARA).

Qual a questão? Se conhecemos ou não a Deus, pois não se trata de religião, nem religiosidade, mas de revelarmos quem somos Nele. A vida eterna está em conhecer o Pai e a Cristo quem Ele enviou. Quando O conhecemos, andamos como Ele, tornamo-nos Seus imitadores, honramos e glorificamos o Seu nome por meio das obras que realizamos, pois praticamos a Sua justiça e revelamos a Sua graça, agora quando somos religiosos, só estamos preocupados com o nosso ponto de vista, nossos desejos e o que queremos.

Se insistirmos em sermos religiosos o que geraremos são filhos do inferno, mas se nos empenharmos em conhecer o Pai e compreendermos que somos filhos e que o temos que revelar ao mundo por meio de nossas vidas, então geraremos filhos Deus e seremos modelos para que possam conhecer o Pai e a Sua vontade. Somos chamados para sermos luz e sal neste mundo, revelando a plenitude da vida do Criador a todos.

Anúncios