Se trata de fé, não de religiosidade

Se trata de fé, não religiosidade

foto por: Alex Chambers em Unsplash

Quando acrescentamos penduricalhos à fé, nos desviando do verdadeiro foco, podemos estar nos perdendo em ensinamentos de homens e não aprendendo a vontade de Deus, não estaremos amadurecendo e nem crescendo na expressão da Sua vontade.

Jesus falando da fé de um homem, centurião romano, que não era judeu, em Mateus, capítulo oito, versículos onze e doze, afirma: “Digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no reino dos céus. Ao passo que os filhos do reino serão lançados para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes.” (Mateus 8.11–12, BEARA).

Vivermos o Reino não se trata de religião, mas de andarmos por fé, com base no que Deus afirma sobre nós e Sua vontade e a nossa submissão a ela. Precisamos compreender que o justo vive por fé. Somos justos, não porque somos bons, mas porque Cristo foi a oferta em nosso favor, para que fôssemos justificados diante do Pai e apresentados santos, inculpáveis e irrepreensíveis em Sua presença.

Isto é um fato, esta é uma atitude de fé, pois cremos que o que Cristo fez é suficiente para não só estarmos na presença do Pai, mas para andarmos neste mundo de maneira a revelarmos, por meio da Sua família, a plenitude da Sua vontade a todas as pessoas.

Anúncios