Não estamos sozinhos

Podemos achar que somos os únicos que estão fazendo o que precisa ser feito, que tem o entendimento da vontade de Deus, que sabemos Sua vontade, mas não é assim, Ele sempre reserva os Seus, sempre os conduz na expressão da Sua vontade. Precisamos entender que não se trata do que os outros estão fazendo ou da sensação de estarmos sozinho na jornada, mas, da certeza que temos de sermos  instrumentos e que Deus não nos deixa sozinhos na caminhada.

Paulo, na carta aos Romanos, no capítulo onze, usa Elias como exemplo, podemos ler do versículo dois ao quatro: “Deus não rejeitou o seu povo, que ele havia escolhido desde o princípio. Vocês sabem muito bem o que as Escrituras Sagradas dizem naquele trecho em que Elias acusa o povo de Israel diante de Deus. Elias diz assim: “Senhor, eles mataram os teus profetas e destruíram os teus altares. Eu sou o único que sobrou, e eles estão querendo me matar!” O que foi que Deus disse a ele? Ele disse: “Eu guardei para mim sete mil homens que não adoraram o deus Baal.”” (Romanos 11.2–4, NTLHE).

Podemos achar que estamos sozinhos, fazendo o que estamos com o entendimento que temos, mas não estamos. Ele sempre guarda os Seus e os conduz à maturidade e os usa, no momento apropriado para ser o nosso “amém”, como para nós sermos na vida dos outros.

Pode parecer, de vez em quando que a jornada é solitária, mas faz parte do processo de amadurecimento e aprendizado em ter confiança Naquele que nos chamou das trevas e nos conduz para o Seu reino para revela-Lo ao mundo, manifestando por meio das obras a Sua glória. Temos que entender que o propósito de tudo é crescermos, amadurecermos e compreendermos que temos que ser como o Cristo e fazermos de nossas vidas uma oferta em favor das pessoas para que Ele seja conhecido através de nós.

Anúncios