Crise de incredulidade

A crise da incredulidade

foto por: Osman Rana em Unsplash

Muitas vezes perdemos o operar de Deus em nossas vidas e na das pessoas por causa da nossa incredulidade, revelando a nossa falta de fé e confiança Nele que é poderoso para fazer tudo em todos segundo a Sua vontade, por isso, precisamos refletir sobre o que temos feito e como temos nos posicionado.

Com Jesus não foi diferente, pois as pessoas, por conhecerem a Ele, por terem participado de Sua infância, também foram incrédulos com relação ao que estava fazendo para revelar o Reino, como podemos ler em Marcos, capítulo seis, do versículo três ao cinco: “Não é este o carpinteiro, filho de Maria, irmão de Tiago, José, Judas e Simão? E não vivem aqui entre nós suas irmãs? E escandalizavam-se nele. Jesus, porém, lhes disse: Não há profeta sem honra, senão na sua terra, entre os seus parentes e na sua casa. Não pôde fazer ali nenhum milagre, senão curar uns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos.” (Marcos 6.3–5, BEARA). E então, temos a conclusão e a declaração desta incredulidade no versículo seis: “Admirou-se da incredulidade deles. Contudo, percorria as aldeias circunvizinhas, a ensinar.” (Marcos 6.6, BEARA).

O que precisamos compreender? Independente do que as pessoas falam, creem ou façam, nós não podemos mudar o que temos que fazer e como precisamos fazer, assim como Cristo fez, pois temos que anunciar o evangelho, revelar o Reino, manifestar o Deus invisível a todos. Mas mais que isso, precisamos estar comprometidos com a Sua vontade e continuar a revelá-Lo ao mundo por meio de nossas vidas sendo imitadores de Cristo.

Anúncios