Exemplo é só para os líderes?

foto por: olcay ertem em Unsplash

Quando lemos na carta de Paulo à Tito, no capítulo um, do versículo cinco ao nove, sobre o perfil do líder que deve ser escolhido, observamos as seguintes recomendações:

Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi: alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados. Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si, apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem.” (Tito 1.5–9 RA).

Este é um perfil somente para o líder ou deve ser algo a ser perseguido por todos aqueles que fazem parte da comunidade? Quando revelamos compromisso com Deus e a Sua vontade? Quando, ao compreendermos quem somos e a Sua obra em nossas vidas, entendemos que devemos viver não segundo os valores e a forma de pensar deste mundo, mas expressando que somos filhos e que devemos caminhar para a maturidade para revelarmos em todas as nossas ações e palavras os valores eternos do reino como imitadores de Cristo e expressarmos em nossos relacionamentos as virtudes Daquele que nos tirou das trevas.

Sermos exemplos e modelos para outros não é uma responsabilidade somente de líderes, mas de todo o Corpo de Cristo que caminha para cumprir o seu papel no mundo, revelando o nosso Deus, a Sua salvação e manifestando a justiça e equidade em todas as ações como família para que o Pai seja glorificado por meio do que fazemos como Seu povo.

Ouça a mensagem no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX,SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE