Como nos vemos diante do Senhor?

foto por: Anh Nguyen em Unsplash

O Senhor falando, por meio de João, à igreja de Loadiceia, afirma no capítulo três, do versículo quinze ao dezoito:

Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca; pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas.” (Apocalipse 3.15–18 RA).

A maneira como nos vemos diante do Senhor devem ser fundamentadas nas obras que realizamos, na convicção da dependência completa do Senhor como fonte de vida e capacitação para fazer o que temos que realizar neste mundo segundo a vontade Daquele que nos tirou das trevas. Quando agimos com arrogância, pensando que somos “os bons”, estamos na realidade longe da vontade do Senhor, andando segundo a nossa maneira de pensar natural e não no reconhecimento de nossa miserabilidade e dependência. Devemos e precisamos buscar o conhecimento do Senhor, pois à medida que andamos nesta vontade, mais reconhecemos nosso verdadeiro estado e dependência.

Andamos na verdade, praticamos as obras que glorificam ao Senhor, quando reconhecemos que dependemos Dele inteiramente e que Ele é a fonte de toda a vida para cumprirmos a Sua vontade neste mundo.

Ouça a mensagem no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE