Não ser motivo de tropeço

Não ser motivo de tropeço

foto por: Filippo Bortolotto em Unsplash

Jesus ensinando em Mateus, no capítulo dezoito, versículos seis e sete, afirma:

Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar. Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual vem o escândalo!” (Mateus 18.6–7, RA).

Nós que nos achamos maduros, que pensamos que conhecemos a vontade do Senhor precisamos entender que somos modelo, exemplos para aqueles que são crianças na fé, que somos referências para a família de Deus, mas, quando assim nos colocamos e não andamos segundo o exemplo de Cristo, então revelamos imaturidade em nossos atos e palavras, nossas atitudes serão motivo de escândalo para os que são novos ou um modelo que não deve ser seguido. Quando não somos modelo, estamos na realidade nos tornando pedras de tropeço, impedindo o amadurecimento e compreensão da vontade de nosso Deus e Pai, pois o evangelho não se trata do que sabemos, mas de como vivemos o que compreendemos. Tornamo-nos pedras de tropeço quando o exemplo que damos não leva as pessoas à maturidade e a serem discípulos de Cristo, transmitindo a idéia de que de qualquer maneira serve.

Não podemos ser pedras de tropeço na vida de ninguém, por isso o nosso compromisso com Deus deve ser revelado em nossas atitudes e precisamos manifestar a nossa completa dependência de Deus para viver a Sua vontade neste mundo.

Ouça a mensagem completa no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE