O reconhecimento da autoridade de Jesus

O reconhecimento da autoridade de Jesus

foto por: Gabriel Santiago em Unsplash

No evangelho de Lucas, no capítulo sete, versículos sete ao dez, lemos:

Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz. Ouvidas estas palavras, admirou-se Jesus dele e, voltando-se para o povo que o acompanhava, disse: Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta. E, voltando para casa os que foram enviados, encontraram curado o servo.” (Lucas 7.6–10, BEARA).

Quando falamos de fé, não podemos pensar nela se não estiver fundamentada no reconhecimento da autoridade que tem. Assim como este centurião reconheceu a autoridade de Cristo, por isso, expressou a sua fé e o entendimento de que não precisava da presença física do Senhor, mas uma só palavra era suficiente. Reconhecermos a autoridade do Senhor e que Suas palavras são suficientes e que não precisamos de confirmação física é que fará a diferença em nossa jornada de crescimento.

Cristo nos chama para conhecermos o Pai e a salvação (reconciliação) que nos é concedida pela graça por meio da fé na obra que Ele fez em nosso favor e neste ato de crermos, nós nascemos de novo, somos feitos uma nova criatura para andarmos neste mundo segundo a vontade do Pai. Crermos nisto é reconhecermos a autoridade de Cristo quanto ao que falou, pois nos chamou para revelarmos o Pai ao mundo.

Ouça a mensagem completa no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLEPODCAST