Plena convicção da verdade

Plena convicção da verdade

foto por: Aaron Burden em Unsplash

As Escrituras existem pelo simples motivo de nos conduzir à instrução e ao conhecimento da vontade Deus para amadurecermos na fé e sermos expressão da Sua vontade e tendo confiança, possamos crescer e sermos imitadores de Cristo.

Lucas ao escrever o evangelho que recebe o seu nome, afirma esta questão a Teófilo, pois o seu objetivo era que tivesse a plena convicção da verdade que lhe tinha sido transmitida, como podemos ler no evangelho de Lucas, capítulo um, versículo um ao quatro: “Visto que muitos houve que empreenderam uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, conforme nos transmitiram os que desde o princípio foram deles testemunhas oculares e ministros da palavra, igualmente a mim me pareceu bem, depois de acurada investigação de tudo desde sua origem, dar-te por escrito, excelentíssimo Teófilo, uma exposição em ordem, para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído.” (Lucas 1.1–4, BEARA).

Toda Escritura é inspirada por Deus, é o Espírito Santo que conduziu todo o processo, para que homens, pessoas como nós, diante dos fatos que viviam do compromisso com Deus, escrevessem a outros para que houvesse a transmissão do conhecimento da vontade de Deus. Temos e precisamos conhecer as Escrituras. Temos que colocar o nosso coração na leitura, na busca do entendimento e do conhecimento dessa vontade, como Lucas fez com relação a Teófilo.