A fonte da autoridade

A fonte da autoridade

foto por: Sang Huynh em Unsplash

Compreendermos que a autoridade provêm de Deus e que uma vez constituída não deve ser usada para benefício próprio, muito menos exercer a injustiça, pois Deus as constituiu com o propósito de exercer justiça e juízo.

Jesus diante de Pilatos, fala sobre esta questão, como podemos ler em João, capítulo dezenove, versículos dez e onze: “Então, Pilatos o advertiu: Não me respondes? Não sabes que tenho autoridade para te soltar e autoridade para te crucificar? Respondeu Jesus: Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fosse dada; por isso, quem me entregou a ti maior pecado tem.” (João 19.10–11, BEARA).

A autoridade foi concedida por Deus a Pilatos, mas se ele a exerceu para cumprir a justiça e juízo ou se para atender interesses políticos deve responder por isso, pois não achando em Cristo qualquer transgressão para condená-Lo à morte, deveria providenciar a Sua libertação, mas devido ao interesse pessoal e político, atendeu oos desejos dos religiosos egoístas.

E nós, compreendemos a autoridade que recebemos de Deus e o Seu propósito? O que temos feito? Praticado a justiça e juízo com as pessoas ou o que estamos defendendo são os interesses religiosos? Devemos refletir sobre essas coisas e compreendermos porque estamos aqui e vivermos segundo a vontade do Pai.