Antes sofrermos o dano

Antes sofrer o dano

foto por: Bill Oxford em Unsplash

Compreendermos quem somos, nosso papel, nossa responsabilidade neste mundo diante de Deus e que somos responsáveis por revelá-Lo, expressá-Lo em nossas ações e manifestar a Sua justiça a todos, temos que entender que sendo quem somos, não se trata de discutir sobre as demandas e diferenças que temos entre nós e sim é preferível sofrer o dano a buscar os nossos direitos.

Paulo, na primeira carta aos irmãos de Corinto, capítulo seis, trata desta questão e afirma do versículo cinco ao sete: “Para vergonha vo-lo digo. Não há, porventura, nem ao menos um sábio entre vós, que possa julgar no meio da irmandade? Mas irá um irmão a juízo contra outro irmão, e isto perante incrédulos! O só existir entre vós demandas já é completa derrota para vós outros. Por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, o dano?” (1Coríntios 6.5-7, BEARA).

Sendo nós responsáveis por julgarmos o mundo e até mesmo os anjos, não deveríamos entender que podemos resolver as questões que possam existir entre irmãos, mas devemos estar prontos a agir como Cristo, sermos oferta e preferirmos sofrer o dano a termos que recorrer aos “direitos naturais” para a assegurar o que desejamos ou achamos ser nosso.

Somos de Cristo, vivemos para Ele e temos a responsabilidade de revelá-Lo ao mundo, por isso, tudo que venha a se opor a este propósito é preferível sofrermos o dano a deixarmos de revelar o Senhor e a Sua justiça.